0

Carta a mim própria quando me desvio da mãe que sou


Falas ao teu filho os teus segredos, os teus sentimentos, os teus sonhos? Falas com ele olhos nos olhos sobre como te sentes, como queres sentir e o que fazes para isso acontecer? Transmites de facto as tuas emoções ou escondes-te atrás de um escudo que não só não vos protege, como vos afasta ainda mais?

Não esperes que ele faça o mesmo quando não és tu o pr
imeiro passo, o primeiro gesto, o primeiro exemplo.
Não esperes que ele te queira vir dar um abraço, se não és tu quem o ensina a dar primeiro. Não esperes, aliás, por nada. Sê livre e espontânea, verdadeira, como és, pois só assim ele te irá conhecer realmente e amar-te pela verdade.
Não te escondas por palavras, ditados antigos, dicas de livros ou estudos comprovados. Sente e verbaliza isso. Não deixes de ser a pessoa que és só porque te tornaste mãe. Se queres chorar, chora, mas primeiro, fala com ele.
Ele é pequeno mas entende, mesmo que não to mostre. Não guardes remorso, culpa ou dor. Explica, ele é ingénuo mas sabe sentir mais do que pensas. Abre a janela da tua mente e deixa a liberdade entrar, não a feches em ti pelos outros. Queres saltar com ele nas poças, salta. Não te importes se te julgam por isso, provavelmente quem te julga gostaria de ter metade da tua franqueza.
Fomos feitos para crescer, mas há tanto em nós que precisamos de manter! Ser criança ensina-nos tanto. E nós ensinamos mais quando somos nós , de verdade.
...e assim te escrevo esta para te lembrar que...
Quando me vou deitar, a tua voz e as tuas palavras ainda ecoam na minha cabeça. São a última coisa que ouço em mim antes de dormir... e assim fecho os olhos e sorrio..
Podia dizer-te que era um reflexo do cansaço, mas não é, é da saudade! Dá saudade voltar a viver-te de novo todo o dia, mesmo que canse [claro que cansa!], mas é intensamente gratificante...
É o eco da felicidade que é ser tua mãe por inteiro. Ouvir-te, beijar-te, abraçar-te e admirar-te todo o dia..


Este eco que ressoa em mim é o som que levo comigo nos meus sonhos. É como o materializar do beijo que te roubo antes de te deixar, a dormir, sereno. É como levar comigo um pote mágico com a poção certa de como te fazer feliz, tendo a certeza de que o amanhã será igual ou melhor, apenas e só, pelo motivo de estarmos juntos!