0

Grávida outra vez? Sua louca!

- Este saco com a minha roupa fica aqui à entrada e só o deves levar no dia em que tivermos alta!
- Perto do ovinho está um casaco e uma mantinha para a menina e que também só levarás no dia da alta, juntamente com o ovinho, não te esqueças do ovinho!
- Provavelmente vou esquecer-me disto, por isso por favor confirma que há gelo no congelador. Vou precisar! De muito!
- E o sushi, não te esqueças do sushi!
Enquanto lhe vou dando algumas indicações logísticas importantes (e outras nem tanto) que deve ter em conta quando chegar a hora H, lembro-me que perdi a conta ao número de vezes em que me chamaram louca por ter engravidado a esta altura da vida. Talvez o mesmo número de vezes em que imediatamente a seguir ouvi aquela frase em tom quase condescendente "oh, mas percebe-se, ele não tem filhos, é claro que tinhas que engravidar!".
Acho que na cabeça de quem me olha de fora, eu nunca no meu perfeito juízo teria decidido de livre vontade ter um terceiro filho, principalmente "com a tua idade!!!".
Sorrio e vou à minha vida, mas tenho pena das pessoas que acham que já sabem tudo sobre todos, porque desconfio que essa arrogância toda as limitará tanto ao longo da vida, que jamais conseguirão viver felizes e serenas.

Tenho 43 anos e estou prestes a ser mãe pela terceira vez. Não serei Mãe novamente porque refiz a minha vida com alguém que ainda não é pai. Não serei Mãe novamente porque me tenha sentido em algum momento pressionada a tal. Vou ser Mãe novamente porque a vida quis que o amor que vivemos fizesse crescer esta vontade gigante de ter um filho nosso!
Ser Mãe tem tanto de mágico como de assustador, quer seja o primeiro, segundo ou terceiro filho, tenhamos 20, 30 ou 43 anos, mas a verdade é que estar grávida depois dos 40 me deu mais serenidade para aproveitar o momento e tentar não dar tanta importância a todos os desconfortos e preocupações que fazem parte (e que são muitos!).
Tanta coisa voltou a ser novidade, é incrível como parece que voltei a ter novamente tanto para aprender e é tão bom sentir que mesmo sendo a terceira vez aos 43 anos, há ainda tanto por descobrir.
Sentir as minhas filhas tão felizes porque vão ter uma irmã, pegar na mão do meu namorado para juntos sentirmos toda a dança do amor que a nossa Alice nos oferece e sonhar com o momento em que a teremos nos nossos braços, tudo isto não tem preço e só me faz ter a certeza que tudo acontece exactamente quando tem que acontecer.

E eu que nunca fui aquela Mãe que gostou propriamente de estar grávida, penso nas pessoas que afinal não sabem nada, olho para esta minha barriga de final de tempo e já começo a sentir saudades dela por antecipação.