0

Pão por Deus



Pão por Deus – A Tradição secular que estamos a deixar cair no esquecimento.


Dia 1 de Novembro grupos de crianças saem à rua com os seus sacos de pano feitos à mão pelas famílias e batem de porta em porta a pedir Pão por Deus. Do outro lado, as oferendas variam entre bolos, broas, frutos secos, romãs e pão. Os miúdos saltitam de alegria e vão petiscando as iguarias tão raras ao longo do percurso enquanto comparam qual o saco com maior volume de doces.

Era assim há 20 anos atrás, não precisamos recuar muito mais. O pão por Deus, que entretanto se escreve sem hífen, é uma tradição secular que passou de geração para geração. Em algumas zonas do país chama-se Dia dos Bolinhos mas o conceito é o mesmo, homenagear quem nos é querido mas que infelizmente já não está entre nós.  

Tantas memórias que as nossas gerações têm deste dia. A “sugardose” de guloseimas que apanhávamos, as vizinhas que se fingiam de mortas e nunca abriam a porta, a senhora da casa verde que preparava um baquete real e as risotas que todos juntos partilhámos. Bons velhos tempos, era tão simples, tão perfeito.  

Este ritual cristão celebrado no dia dos finados está a cair no esquecimento e cada vez vemos menos crianças a fazer o seu peditório. Grande parte dos miúdos com 10 anos acha que Pão por Deus é o nome de um youtuber. 

Entretanto o Halloween ganha cada vez mais adeptos e na noite de todos os santos, crianças mascaradas de bruxas, vampiros, esqueletos entre outras figuras fantasmagóricas saem à rua com as suas abóboras de plástico a pedir doçura ou travessura. Do outro lado, as oferendas variam entre rebuçados, chupas, olhos de chocolate, pastilhas e gomas. Os miúdos saltitam de alegria pelo bairro e a indústria também.


Estamos a importar costumes de outros países e a deixar cair no esquecimento uma tradição popular que os nossos antepassados mantiveram bem viva até ao seculo XXI.