0

Viver com anafilaxia (alergias graves)!


É como viver num mundo à parte, onde todos acham que é esquisitice, que é uma dieta por moda ou sei lá! É aprender que vestígios não se veem mas matam, aprender a ler todos os rótulos, nunca comprar sem confirmar que é seguro todas as vezes que vamos às compras, é evitar beijinhos, toque, fugir do cheiro, aprender que comida pode ser veneno e matar o nosso filho a qualquer momento, em qualquer dia, não há hora, nem local! Há que andar sempre com medicação de emergência e injectar sem medos mesmo antes de chamar o 112!

Éramos uma família, que levava a sua vida normal, trabalho, filhos, com uma rotina atarefada como qualquer outra família numerosa.  Temos por cá sempre a máxima de simplificar, fazer o nosso melhor e sorrir todos os dias.

Um dia com cheirinho a Natal, a nossa família levou o maior susto da nossa vida, o mais pequeno ia comer a sua primeira papa, com direito a roupinha especial, fotos, tudo como os manos… e do nada, fica a lutar pela vida à 2ª colher de papa… A Anafilaxia (alergia alimentar grave) entrou porta dentro sem convite bom na verdade mais parecia que tinha caído uma bomba por engano, claro!

Depois de recuperar a vida do pequeno para este lado novamente, esta família começou os ajustes, colar todas as peças e começar a viver o mais normal possível mesmo com esta nova realidade, de início tudo parecia difícil, imensas palavras novas, imensas problemáticas que nem sabíamos que existiam, muitos desafios com a doença, ui e a discriminação? Pois parece surreal, mas em pleno século XXI ainda existe… Onde? Nas escolas, na sociedade, anda por aí à solta… constatamos que a nossa máxima manteve-se e foi uma ajuda neste caminho.

Foi o início de uma longa viagem, cheia de curvas, pedras, mas que cada detalhe conta ainda mais, cada nascer do sol é apreciado com mais gratidão, cada arco-íris é celebrado, cada festa é vista sempre como única, cada dia um verdadeiro presente.
Passaram sete anos, foram os mais intensos, os mais duros com as maiores lições, os mais trabalhosos, onde a palavra fé e esperança mostram todos os dias o verdadeiro significado.

Aprendemos a viver, aprendemos a fazer tudo com as devidas adaptações, a nossa vida normal é isto agora, não vivemos no futuro esse sentimos que o regateamos todos os dias e é demasiado incerto, vivemos o presente como um verdadeiro presente que é!

Somos felizes, sorrimos, amamos e ajudamos. Sinto em mim uma gratidão tão grande que só uma mãe de um filho que luta ou lutou pela vida sabe o real tamanho. Estamos todos bem e vivos é o que realmente importa, o resto chama-se viver e isso é para se ir fazendo e saboreando todos os momentos.

Então e o que devo saber sobre alergias graves?
Primeiro é importante saber que existem, podem aparecer em qualquer idade, que a causa pode ser um alimento, uma picada de insecto ou medicamento. 
Sintomas súbitos persistentes como falta de ar, manchas na pele, tonturas, tosse rouca persistente, são motivo de alerta e ida a um imuno alergologista ou mesmo urgência. Pode contactar a  Associação Missão Arco Iris – Associação de Apoio e Promoção à Inclusão de Crianças com Anafilaxia, têm formações gratuitas nas escolas, unidades de saúde e famílias. Muitas dicas como superar tudo isto de forma positiva.