0

Todos somos diferentes



Filho, eu sei que não gostas quando te peço que deixes esse planeta longínquo onde vives e que regresses á Terra. Que te diga mil vezes, que a vida não é como nos desenhos animados, ou que não te deves isolar, e brincar sozinho só porque os outros não percebem as brincadeiras que existem na tua imaginação. Não gostas, mas ainda assim, faço-o, não para te mudar, mas para te ensinar a flexibilidade, a tolerância, e a importância de comunicar com os outros.
Quero que saibas, acima de tudo, que gosto de ti como és. Que não faz mal não gostar de futebol, ou de jogar ao mata. Não tens de ser igual a ninguém. Importante mesmo, é saberes quem és. É respeitares os outros e as suas diferenças. Pois é na diversidade que enriquecemos a nossa vida. É nos contrastes que encontramos a complementaridade e o equilíbrio que nos trará a harmonia.
Quero que entendas, que é importante ouvir os teus amigos e experimentar também as suas brincadeiras, tal como queres que eles experimentem as tuas. Que é fundamental ter o espírito aberto, ceder tempo e atenção aos outros na medida em que queres que eles o façam também contigo. Não pode ser sempre tudo á tua maneira. Experimentar outras formas de brincar é alargar o teu mundo e dar-lhe novos horizontes. Sair da nossa zona de conforto é aprender sempre um bocadinho mais. 
Nem sempre é fácil, eu sei. Vai haver momentos em que te sentirás em casa, e outros momentos em que sentirás não pertencer a lugar nenhum. Vai haver alturas em que te sentirás diferente e sofrerás. Todos nos sentimos assim às vezes. Mas digo-te, somos todos diferentes, se te sentires bem na tua pele, isso não será assim tão desconfortável, se fores autêntico, tudo se torna melhor. Se respeitares os outros podes exigir sempre que te respeitem.  

Quando tudo isto te deixar confuso, porque são demasiadas a vozes dissonantes que te rodeiam, lembra-te que a tua família te adora, que estamos sempre aqui para te ouvir e ajudar, e na dúvida, procura seguir o teu coração pois ele saberá sempre o caminho certo. 

Natália Rodrigues
Escreve no Escrever, Fotografar, Sonhar
Mãe de um menino doce e traquina. Com mais dúvidas que certezas, acredita que a partilha é também uma forma de aprendizagem. Mora em Oeiras, autora do blog Escrever, Fotografar, Sonhar
Artigos