Sara Velha

Sara, 31 anos, natural de Aveiro. Trocou a beira mar e os canais da ria pelas capas e serenatas de Coimbra para se licenciar em Enfermagem. Profissão escolhida porque, acima de tudo, queria ajudar os outros. Voltou à sua cidade do coração, onde casou e para onde, recentemente conseguiu vir trabalhar.

Era certo que a sua vocação era ser enfermeira, até ao dia em que foi mãe e em que viveu essa experiência avassaladora que é viver com o coração fora do peito e sentir-se realizada com isso. Setembro será sempre o mês que lhe trouxe o maior amor do mundo. Aquele amor que não se explica, que não se mede e que a tem feito procurar um novo caminho, já que o que seguia perdeu algum sentido.

Um coração mole e um espírito inquieto, guiado pelo amor à família, o seu bem mais querido e precioso, aquilo que verdadeiramente lhe interessa. A sua maior provação foi ter que se separar do filho e regressar ao trabalho. Nessa altura começou a escrever, como forma de exteriorizar o que sentia, dando assim asas a uma das suas paixões: a escrita.

Além de ler e viajar, adora cozinhar e reunir amigos à volta de uma mesa criada por si. Gosta especialmente de fazer bolos, sendo esse outro dos sonhos que, devagarinho alimenta.

Resumindo, é uma enfermeira, que queria ser só mãe e que tem escrito sobre isso e não só.
Mais em: