0

Mas os miúdos não se calam??



Vamos brincar a quê? - perguntava a mais pequena.
A nada.- respondeu a do meio.
A mais pequena desatou a chorar. E quando chora, chora com tudo.
A irmã acalmou-a e disse: Sabes como se brinca a nada?
Nãããão!!!!! respondeu ainda entre lágrimas.
E, puxando a irmã pela mão foram as duas lá para fora.
Então, deitaram-se no chão quente, espreguiçaram-se, riram, conversaram, até que a do meio começou a ficar mais quieta, em silêncio. 
A mais nova queria conversar, tocava-lhe, empurrava-a, provocava-a e nada.
Até que perguntou: Já não estamos a brincar?
Sim.- disse a irmã. Estamos. Só que agora é a parte do NADA.
E permaneceu no seu silêncio interior, como tão bem sabe fazê-lo.
A irmã seguiu-a (por breves segundos) e manteve silêncio. Mesmo não sendo a sua principal forma de conexão, a mais pequena conseguiu praticar o seu silêncio interior.
Passado uns momentos (repito: breves! Muito breves!), fartou-se. 
Levantou-se e foi-se embora.
A irmã ficou. 
E está tudo bem.
O silêncio aprende-se praticando o silêncio interior.
Simples.
Por vezes apenas queremos um pouco de silêncio á nossa volta e parece que quanto mais (secretamente) desejamos isto mais os miúdos estão endiabrados e não se calam.
Nós, mães podemos praticar mais vezes o silêncio interior?
Claro que sim.
Como?
5 Dicas para praticares o silêncio em família!
1º Estar presente. Inteira com o olhar. - evita muitas palavras (avisos, ameaças e bitaites) desnecessárias.
2º Reduzir o "Dar", "Debitar" (ou como queiras chamar!) imensas explicações. Geralmente até sentes que "entra a 100 e sai a 200", certo? Neste caso, menos é mais.
3º Joga o jogo do silêncio com os teus filhos. Encontrem outras formas de comunicar para além das palavras. Exemplo: à hora da refeição, no banho, numa viagem curta de carro, etc. Estamos demasiados habituados à comunicação verbal, quando temos todo um conjunto de outras formas de comunicação fantásticas por praticar: toque, visual, emocional, corporal, etc.
4º Como podes tu, mulher e mãe, praticar o teu silêncio interior todos os dias?
Ler um livro, contemplar a lua, observar a luz de uma vela, etc. É importante que o faças na presença dos teus filhos. Acredito que não praticamos o silêncio o suficiente na presença dos outros. E por isso no início pode parecer uma missão (quase!) impossível. Confia. Continua a praticar. Um passinho de cada vez.
5º Respeita os silêncios dos teus filhos. Eu sei que os silêncios por vezes nos incomodam e sem querer já interrompemos. Observa. Contempla sem interromper. Espera pela tua vez de falar. Neste momento o teu filho está a falar com ele próprio.