Joana Roque



Tenho uma enorme paixão em cozinhar  e estar entre entre panelas e tabuleiros.
Aprendi a cozinhar com a minha mãe e avó, e descobri que até tinha algum jeito e que era uma coisa que me dava imenso prazer fazer.
Adoro receber os amigos e a família e partilhar a mesa, tal como os afetos e a amizade.
Tenho 39 anos e três filhos que adoro: o Zé Maria, o António Maria e da Maria Benedita. E um marido do qual também gosto muito e que está sempre disponível para embarcar em aventuras culinárias.
Sou formada em turismo e nunca trabalhei na área.
Adoro ir às compras a mercados e mercadinhos, supermercados e lojas de bairro como frutarias e afins.
Tenho um enorme carinho por o blogue “As Minhas Receitas" que começou em 2006 como uma brincadeira, um espaço para partilhar “as minhas receitas”, ou as receitas que se vão fazendo aqui por casa. (E também pelo meu "Economia cá de Casa")
Tenho 6 livros de receitas editados “Feito em Casa”, “Cozinhar, Celebrar e Partilhar”, “O que faço hoje para o jantar?”, “Receitas para todos os dias”, “Família e Amigos à mesa” e “Presentes com um sabor especial"
Cozinho todos os dias e quando não o faço é normal ficar com saudades de cozinhar.
Gosto de inventar receitas com aquilo que tenho disponível no momento.
Muitas coisas correm mal na minha cozinha. Normalmente não escrevo nem partilho nada sobre elas.
Não gosto de peixe cozido, de ostras, de iscas e de outras miudezas. De resto gosto de quase tudo.
Odeio desperdiçar alimentos ou comida, pelo que o que cozinho tem muito de aproveitamento e de “reciclagem”.
Não gosto mesmo nada de lavar louça, principalmente porque sou um bocadinho desorganizada quando estou a cozinhar e rapidamente e facilmente se instala o caos à minha volta.
Quando estou aborrecida, zangada, nervosa ou ansiosa o melhor que posso fazer é ir para a cozinha. 
E acho que não há melhor programa de fim-de-semana do que cozinhar. 
Apesar de gostar de cozinhar também gosto muito de provar o que os outros cozinham. 
Sim, gosto de comer. De ver séries. De decoração. Da minha casa. Da minha família, Dos meus amigos.
Gosto de fazer muitas coisas, mas há dias em que sinto que não tenho tempo para nada. E por mais voltas que a vida dê, não há nada mais importante que os meus filhos.

Mais em: